Álcool 70 produzido por profissionais e estudantes do IFAM e UFAM ajuda combater à covid-19

Foto: Divulgação

O Instituto Federal do Amazonas-IFAM/Campus Humaitá em parceria com o Instituto de Educação, Agricultura e Ambiente – IEAA/UFAM está produzindo desde de julho álcool etílico glicerinado 70%, para o combate à COVID-19.
O projeto visa beneficiar diretamente pessoas de baixa renda, principalmente aquelas pertencentes ao grupo de risco da COVID-19 e pessoas indígenas do município de Humaitá-AM.
O projeto, coordenado pelo professor de química Janduir Egito da Silva e o biólogo professor Emerson Luis Coelho Duarte, conta com a participação de docentes, técnicos de laboratórios e estudantes de ambas as instituições.
A produção está ocorrendo no Laboratório de Química do IFAM, com uma produção semanal de 400 litros do álcool. Até o final de setembro, a meta é que a produção alcance 3.200 litros do produto. Os professores coordenadores explicam que o álcool etílico glicerinado 70% é uma formulação antisséptica para mãos e também para superfícies, sendo recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS), o qual possui o mesmo efeito antisséptico do álcool gel 70%.
Sua formulação possui etanol (álcool etílico), propanotriol (glicerina), peróxido de hidrogênio e água destilada em sua formulação. A glicerina funciona como hidratante para as mãos e promove um maior tempo de contato entre o álcool e a pele.
Os primeiros 600 litros de álcool produzido já foram distribuídos para a população do município. Assim, as instituições seguem colaborando com a sociedade no cumprimento de sua função social.
“Esta é mais uma ação que o IFAM/Campus Humaitá desenvolve no combate à pandemia causada pelo novo coronavírus. A partir da captação de recursos externos temos conseguido executar ações significativas no combate a este vírus. A compra dos insumos necessários para execução desta ação se deu no âmbito de um projeto nosso aprovado junto ao Comitê Operativo de Emergência (SPO) do Ministério da Educação, ressaltou a diretora do Campus, Aline Penha Pinto.