Bolsonaro reclama da falta de informações pela PF e diz que “vai interferir”

Foto: Wilson Dias/Agência Brasil

Segundo o jornal O Globo, em um dos trechos transcritos do vídeo citado por Sergio Moro, após acusar o presidente de interferir nas investigações da Polícia Federal, Bolsonaro reclama da falta de informações pela PF e diz que vai interferir.
A reunião com os ministros ocorreu no dia 22 de abril. O material foi entregue pela AGU ao STF, nesta quinta-feira (14).
Leia os trechos abaixo
“Eu não posso ser surpreendido com notícias. Pô, eu tenho a PF que não me dá informações; eu tenho as inteligências das Forçar Armadas que não têm informações, a ABIN tem os seus problemas, tem algumas informações, só não tem mais porque tá faltando realmente… temos problemas… aparcelamento, etc. A gente não pode viver sem informação. Quem é que nunca ficou atrás da… da… da… porta ouvindo o que o seu filho ou a sua filha tá comentando? Tem que ver pra depois… depois que ela engravida não adiante falar com ela mais. Tem que ver antes. Depois que o moleque encheu os cornos de droga, não adianta mais falar com ele: já era. E informação é assim”.
“Então essa é a preocupação que temos que ter: a questão estratégia. E não estamos tendo. E, me desculpe, o serviço de informação nosso — todos — é uma vergonha, uma vergonha, que eu não sou informado, e não dá para trabalhar assim, fica difícil. Por isso, vou interferir. Ponto final. Não é ameaça. Não é extrapolação da minha parte. É uma verdade”.
Moro pede liberação da íntegra de vídeo
A defesa do ex-ministro da Justiça Sérgio Moro, alegou que a transcrição de apenas parte do vídeo da reunião ministerial ocorrida no último dia 22 de abril revela “disparidade de armas, pois demonstra que a Advocacia-Geral da União (AGU) tem acesso ao vídeo, enquanto a defesa não tem”.
De acordo com o grupo Globo, o advogado de Moro, Rodrigo Rios, afirma que a petição contém transcrições literais de trechos das declarações do presidente, porém com omissão do contexto e de trechos que são relevantes para a adequada compreensão, inclusive na parte da “segurança do Rio de Janeiro”.
“A transcrição parcial que busca apenas reforçar a tese da defesa do Presidente reforça a necessidade urgente de liberação da integralidade do vídeo”, diz nota de Rodrigo Rios.

Com informações do jornal O Globo