Basílica de São Pedro é desinfetada para volta das missas

Fotos: Alberto Pizzoli/AFP

A Basílica de São Pedro, no Vaticano, passou nesta sexta-feira (15) por um longo e sem precedentes processo de desinfecção contra o novo coronavírus, com atenção especial ao seu grande patrimônio artístico, antes da retomada das missas, na próxima segunda.
A Santa Sé trabalha para desinfetar as quatro basílicas papais de Roma: São Pedro do Vaticano, Santa Maria Maior, São João de Latrão e São Paulo Fora dos Muros, uma vez que as missas serão permitidas na Itália a partir da próxima semana.
Hoje, um grupo de técnicos, munidos com macacão branco, luvas e máscaras, ficou encarregado de limpar completamente o templo principal, completamente vazio e fechado desde o início de março para evitar multidões e contágios.
Trata-se de um fato inédito, com trabalhadores limpando a basílica utilizando produtos desinfetantes, cercados por obras de arte como a Pietà de Michelangelo.
O diretor-adjunto da Direção de Saúde e Higiene do Estado da Cidade do Vaticano, Andrea Arcangeli, explicou que o objetivo é “reduzir quantitativamente a carga bacteriana e viral em todas as superfícies” para limitar a eventual presença do coronavírus.
Para preparar as basílicas, o Vaticano optou por usar uma solução diluída de cloro, uma das opções recomendadas pelas autoridades mundiais de saúde.
Limpar um templo como a Basílica de São Pedro, decorado com mármores valiosos e antigos, é um desafio adicional. “Devemos usar as substâncias adequadamente, pois podem danificar superfícies e obras de arte preciosas”, diz Arcangeli.
A desinfecção é especialmente focada nas áreas de maior tráfego, como o próprio chão, sacristia, altares e escadas.
No último dia 7, o governo e a Conferência Episcopal Italiana assinaram um protocolo para permitir a retomada das missas com um protocolo de segurança, após uma série de controvérsias sobre sua suspensão. Para isso, nas celebrações litúrgicas está prevista a separação entre os fiéis e até o uso de máscara e luvas para o padre no momento da comunhão.

Fonte: jovempan.com.br