CNJ aprova criação de espaços especiais para depoimentos infantis

0
146
Ilustração: www.amab.com.br

Crianças e adolescentes, vítimas ou testemunhas de violência, a partir de agora terão os seus depoimentos colhidos em espaços adaptados e por pessoas com treinamento específico. A determinação está contida na resolução aprovada por unanimidade pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).
A medida visa a evitar a possibilidade de violência institucional, ou seja, aquela causada por profissionais sem preparo para lidar com a condição mental de menores de idade, ou pela exposição a lugares que causem violência psicológica às crianças.
A mesma medida estabelece que os tribunais estaduais deverão, no prazo máximo de 180 dias, apresentar estudos para criar varas especializadas destinadas a receber processos que envolvam crianças.
A resolução, elaborada a partir do Fórum Nacional da Infância e Juventude (Foninj), obedece critérios exigidos pelas Organização das Nações Unidas (ONU) para o tratamento de crianças dentro do sistema judiciário.
De acordo com números do Disque 100, serviço do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos que recebe denúncias de abusos e violações contra grupos vulneráveis, apenas em 2018 foram mais de 17 mil ocorrências envolvendo crianças e adolescentes. Dessas, 13,4 mil eram casos relacionados a abusos sexuais.

Fonte: Pedro Ivo de Oliveira – Repórter da Agência Brasil