Jogador é preso por polícia civil enquanto jogava em Minas Gerais

0
2227

A polícia civil entrou em campo para prender o jogador Sonny Clay Dutra, durante o jogo pela Supercopa dos Inconfidentes o Peñarol enfrentava o Oito de Dezembro no estádio caldeirão da Barra, em Ouro Preto. Dados indicam que Sonny é o principal traficante de pasta-base de cocaína do estado.
A polícia chegou a encontrar um carro com mais de R$ 1 milhão e a apreender 16 quilos de pasta-base de cocaína – isso poderia render 100 quilos de drogas no mercado.
Como Sonny era o principal patrocinador do time, ele não tinha uma posição fixa. Era o famoso dono da bola. Quando entrava em campo gostava de jogar com chuteiras do mesmo modelo das usadas pelos grandes craques do futebol mundial; todas personalizadas.
O Fantástico apurou que o cartola-jogador ainda fazia um agrado extra. Para incentivar o time, a informação é que Sonny distribuía para os jogadores, no vestiário, pacotes de nota de R$ 50. O próprio nome de Sonny estampava as camisas, como patrocinador.
Esta é a quarta vez que Sonny é preso por tráfico de drogas. A mulher do traficante, Efigênia Antônia Lopes Dutra, também foi presa. Outros dois jogadores do Peñarol de Ouro Preto também foram presos. A suspeita, a mesma: tráfico de drogas. Segundo a polícia, todos eles faziam parte de uma única quadrilha.
Em nota, os advogados de Sonny e Efigênia dizem que os investigados possuem ocupações lícitas e encontram-se em processo de separação. A nota diz também que a defesa não obteve acesso amplo aos elementos de prova e que Efigênia e Sonny pretendem colaborar com as investigações a fim de provarem sua inocência.
Fantástico