Lutador morre em evento de MMA em Manaus, após nocaute

0
159

Faleceu neste final de semana em Manaus, o lutador amazonense Mateus Fernandes, 20 anos, após ser nocauteado em evento de MMA amador. O atleta chegou a ser encaminhado ao Serviço de Pronto Atendimento (SPA) do São Raimundo, na Zona Oeste, mas não resistiu após sofrer quatro paradas cardíacas.
A luta válida pela categoria dos pesos-galo, mostra o momento exato do nocaute, no início do terceiro round. Após ser golpeado na cabeça e na nuca, o jovem cai já visivelmente debilitado. Ele recebeu os primeiros atendimentos por um enfermeiro ainda dentro do octógono.
O treinador do projeto Formando Campeões, equipe que Mateus fazia parte, Valmir Dieb, estava presente e acompanhou o atleta até o momento do óbito. Segundo ele, a confirmação da morte veio cerca de duas horas após o combate.
“Meu aluno veio a óbito sim, mas não porque foi nocauteado, não porque recebeu uma pancada forte. Mas sim por que foi uma fatalidade. Ele teve uma convulsão, foi socorrido. Acompanhei ele no Pronto-Socorro. Teve todo um suporte médico, todo um aparato, vários medicamentos à disposição. Atendido por um neurocirurgião, técnicos de enfermagem, enfermeira, mas nada evitou o óbito”, disse.
Para o diretor de disciplina e árbitro central da Camma-AM, Orlean Smith, que também comentou sobre a morte, considera o caso como “fatalidade”.
“O Mateus estava ganhando o primeiro e o segundo round. Estava indo bem. No terceiro ele já começou mais fraco. O adversário conseguiu encaixar dois golpes legais que fizeram ele ir pro chão. É uma fatalidade triste demais, estamos todos em choque”
Orlean Smith também afirmou que as lutas que aconteceriam ao longo do evento chegaram a ser interrompidas durante o ápice do caso. Mateus fez a primeira luta da noite de MMA, que recebeu outros cinco combates.
“Quando isso aconteceu, interrompemos as lutas. Tinha sido a primeira e todo mundo ficou preocupado. A casa continuou movimentada, mas seguramos as lutas. Até que deram notícias do hospital de que ele estava melhorando. Então voltamos. Como era um evento amador, é tudo muito rápido. Foram mais cinco lutas. A última acabou por volta de 23h20. Ele não tinha morrido ainda”, finalizou.
Em laudo inicial do registro de óbito no Instituto Médico Legal (IML), consta a observação de suspeita de overdose.
Fernandes treinava no ‘Formando Campeões’, um projeto social que ajuda dependentes químicos através das lutas. A coordenadora do projeto, Vanderluce Cantuarias, relatou os últimos momentos de vida do lutador.
“Ele fez exames na sexta-feira e estava limpo, mas os ex-alunos nos disseram que ele passou a noite usando drogas”, disse Vanderluce.
“Ele não parecia ter usado nada. Ele estava suando muito, mas isso é comum, a adrenalina da luta. Ele se saiu muito bem nos primeiros rounds, mas foi acertado no terceiro round e caiu, e então começou a ter convulsões causadas pelas drogas”, completou.
Em nota, a Polícia Civil do Amazonas afirma que ainda não localizou nenhum registro de Boletim de Ocorrência sobre o caso. Contrariando versões tanto dos registros do IML quanto de parentes e acompanhantes da vítima, a Secretaria de Saúde do Amazonas afirmou em breve nota que o paciente já chegou sem vida ao hospital.