Ministro da Infraestrutura afirma que “BR-319 é uma vergonha e que é preciso pavimentar”

0
298

Apesar da BR-319 não ter sido incluída no pacote de obras orçadas em R$ 100 bilhões para as rodovias federais, anunciado pelo Governo Federal, em entrevista ao programa 3 em 1, da Rádio Jovem Pan, o ministro da Infraestrutura, Tarcísio Gomes, afirmou que a rodovia BR-319, que liga Manaus a Porto Velho, precisa ser pavimentada. “A BR-319 é uma vergonha”, afirmou ele, taxativamente.
Questionado pelo comentarista Carlos Andreazza sobre as obras para a malha rodoviária da Região Norte, o ministro falou, rapidamente, sobre a importância de se investir em aeródromos e terminais fluviais na região, e citou também a BR-230, no trecho entre Pará e Amazonas, e a BR-163, até Santarém (PA) – ambas inclusas no pacote de obras. Mas concentrou a maior parte do tempo ao falar sobre a BR-319. “Nós precisamos pavimentar a 319. A BR-319 é uma vergonha”.
Para o ministro, o fato da BR-319 estar até hoje sem pavimentação é “uma coisa imcompreensível”. “É muito triste ver o sofrimento das pessoas que precisam usar a rodovia para sair de Porto Velho até Manaus e passam dois, três, ou até quatro dias presas em atoleiros. Isso é incompreensível, porque nas décadas de 70, 80, a rodovia era pavimentada”.
Segundo Tarcísio, não tem faltado verba para a pavimentação da BR-319. O único empecilho, até aqui, é o licenciamento ambiental. “A bancada federal do Amazonas tem feito, rotineiramente, a provisão de recursos. O problema é que não se consegue a licença. Aí se parte do pressuposto que a rodovia é inviável do ponto de vista ambiental. Mas como, se ela já foi pavimentada? Se ela já existiu?”, argumentou.
Classificando o licenciamento ambiental como algo “necessário, uma grande ferramenta de gestão de risco”, Tarcísio Gomes afirmou que é possível equilibrar os interesses estabelecendo, desde o início, medidas compensatórias que tornem a pavimentação possível. “Se eu sei que vai ter travessia de fauna, então eu já vou projetar as pontes e viadutos com dispositivos de passagem de fauna. Já há técnicas na engenharia, hoje, para isso. Não tem motivos para não fazer essa pavimentação”.
O ministro sustentou, ainda, que a pavimentação da via vai diminuir a degradação ambiental. “Na manutenção que a gente faz no período da seca, vamos sempre estar buscando mais material para fazer revestimento primário. Então a degradação acaba sendo maior”, argumentou.