Câncer de pele: protetores solares com novas texturas garantem adesão à prevenção

0
698

A vitamina D tem a função de facilitar a absorção de cálcio pelo organismo. Tomar banho de sol, com proteção adequada é a principal forma de obter a vitamina.
No entanto, a incidência dos raios ultravioleta afetam as estruturas da pele, podendo causar queimaduras, manchas, rugas prematuras e até mesmo câncer. Por isso, a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) reforça na campanha “Dezembro Laranja” a importância da utilização de medidas fotoprotetoras como prevenção e dos exames regulares para garantir um diagnóstico precoce do câncer de pele.
O uso de produtos adequados para uma boa proteção solar da pele exposta ao sol também é uma recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Porém, muitas vezes essa simples medida não tem a adesão necessária pela população devido às formulações de protetores solares pesadas e oleosas ou que têm em sua base ingredientes que deixam uma sensação desconfortável na pele.
Atualmente já estão disponíveis no mercado uma grande variedade de produtos com formulações mais leves e suaves, que atendem a essas expectativas dos consumidores. As empresas que produzem matérias-primas para a preparação de protetores solares, estão desenvolvendo novas moléculas e formulações que possuem menos ingredientes, mas maior eficiência. As novas tecnologias evitam questões antigas, como a irritação na pele ou nos olhos, roupas manchadas ou sensação de oleosidade excessiva”.
Além disso, as pessoas vêm exigindo produtos com características adicionais, como livres de silicones e parabenos, menor impacto ambiental, entre outras especificidades. “Este é um mercado em constante evolução e já há uma ampla gama de opções em proteção solar cada vez mais personalizadas”, garante Marcel Schnyder, líder do centro técnico global para proteção solar da BASF. “Hoje você pode encontrar centenas de opções, como óleos de toque seco, que são tendência na Europa e na Ásia, ou protetores solares ‘sem lágrimas’, apropriado para os membros mais jovens da família”, explica.
A recomendação geral, segundo o especialista, é aplicar uma boa quantidade de protetor solar todos os dias. Em crianças, a sugestão é usar filtros UV que combinem ativos com ação química e física, otimizando a ação e reduzindo o risco de danos à pele. Em adultos, a quantidade de proteção depende da rotina que é seguida, mas o importante é não esquecer de proteger a pele dos raios solares mesmo nos dias nublados.