12 cidades em alerta ou risco para surto de dengue, zika e chikungunya, no Amazonas

0
1072

A situação mais grave foi constatada em Guajará – no Sudoeste do estado, a 1,4 mil km de Manaus – onde há risco de surto das doenças, segundo o Ministério da Saúde.
Os dados são do novo Levantamento Rápido de Índices de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 2018, divulgados nesta quarta-feira (12). O estudo é um instrumento fundamental para o combate e controle do Aedes aegypti e das doenças causados pelo vetor.
Conforme a análise, a capital Manaus está em situação de alerta, com Índice de Infestação Predial (IIP) de 1,1%. O índice foi o mesmo nas cidades de Humaitá e Itacoatiara. Entre os outros municípios na mesma situação, São Gabriel da Cachoeira tem o maior IIP, de 3,6%, segundo o levantamento.
Guajará, que tem a situação mais crítica até então, tem IIP de 5,3%.
Dos 61 municípios do Amazonas, Guajará encontra-se em situação de risco e Coari, Humaitá, Itacoatiara, Jutaí, Lábrea, Manaus, Novo Airão, Novo Aripuanã, São Gabriel da Cachoeira, Tefé e Tonantins em situação de alerta.
No Estado, a maior parte dos criadouros encontrados estavam em depósito de água. Ao todo, foram 444 viveiros do tipo, seguido de depósitos de lixo (299) e domiciliar (236).
De acordo com o Ministério da Saúde, 19 municípios amazonenses não enviaram informações sobre o levantamento de infestação pelo Aedes.