Brasil encerra Jogos da Juventude com 13 medalhas; ouro saiu na reta final

0
2084

Com duas medalhas de ouro, a delegação brasileira fechou sua participação Jogos Olímpicos da Juventude, em Buenos Aires. O Brasil conquistou 13 medalhas (2 ouros, 4 pratas e 7 bronzes), mesmo número que na edição de 2014, em Nanquim, na China, e superior a 2010, em Singapura, quando encerrou o evento com 7 medalhas. A última medalha veio hoje com a equipe de futsal, nesta quinta-feira (18), dia em que terminou o evento.
Há quatro anos, porém, o Brasil terminou os Jogos da Juventude com seis ouros. Uma das explicações pode ser a diferença no contingente de atletas na delegação. Em Nanquim, o COB (Comitê Olímpico Brasileiro) esteve representado por 97 atletas. Na edição inaugural do evento, em 2010, o Brasil viajou com 81 esportistas. Para esta edição em Buenos Aires, a delegação foi a menor do Brasil, com 79 atletas.
Segundo o COB, a maior participação em 2014 foi justificada pelos altos investimentos feitos no esporte brasileiro durante a preparação para a Olimpíada Rio-2016.
“A expectativa que a gente tinha era fazer a melhor representação possível do Brasil e acho que ela foi conquistada”, afirmou Sebástian Pereira, chefe da delegação brasileira. Entre as conquistas brasileiras na Argentina destacam-se as duas medalhas conquistadas no boxe. Keno Machado ficou com o ouro na categoria peso médio e Luiz Gabriel de Oliveira faturou o bronze no peso mosca. Luiz Gabriel foi o porta-bandeira da delegação e é neto de Servílio de Oliveira, medalhista de bronze na Olimpíada de 1968 na Cidade do México.
Nesta quinta-feira, o futsal sagrou-se campeão na primeira edição de Jogos Olímpicos da Juventude que contou com a modalidade. O Brasil venceu por 4 a 1 a Rússia e ficou com o título. Na semifinal, havia superado a seleção anfitriã, por 3 a 2.
Na natação, o país ganhou três pratas, todas no revezamento 4 x 100 m (masculino, feminino e misto). Com isso, todos os oito nadadores brasileiros que foram a Buenos Aires subiram no pódio. As meninas também fizeram história nas piscinas argentinas ao garantirem o primeiro pódio olímpico para as mulheres na história da natação brasileira. “Saímos muito satisfeitos. Todos os atletas da equipe, os oito, medalharam. Foram três pratas e tivemos 12 finais. Chegamos muito perto da medalha individual e garantimos um feito histórico com o revezamento feminino”, afirmou Márcio Latuf, técnico da natação brasileira nos Jogos.
“É uma felicidade imensa estar junto com essa garotada e agora vamos desenhar um outro tipo de trabalho para que eles possam evoluir muito”. O ginasta Diogo Soares foi outro destaque individual, faturando duas medalhas para a delegação. Uma de prata, na barra fixa, e outra de bronze, no individual geral. O Brasil também conquistou medalhas de bronze no judô feminino, com Eduarda Rosa, no tênis masculino, com Gilbert Klier, nas provas de atletismo dos 200 m rasos feminino e masculino, com Leticia Maria e Lucas Conceição, e no taekwondo feminino, com Sandy Camila.