Humaitá é um dos municípios onde a vacina contra aftosa será retirada

A vacina contra a febre aftosa em 12 municípios da região sul do Amazonas, será retirada a partir de 2019. A informou foi repassada pela Agência de Defesa Agropecuária e Florestal do Estado do Amazonas (Adaf).
Os municípios que estão previstos para a retirada da vacina contra a febre aftosa são: Apuí, Boca do Acre, Canutama, Humaitá, Lábrea, Manicoré, Novo Aripuanã, Pauini, Guajará, Envira, Eirunepé e Ipixuna.
Todo o Estado pode receber o status livre de febre aftosa sem vacinação até 2020. O Amazonas é reconhecido internacionalmente como área livre de febre aftosa com vacinação pela Organização Mundial de Saúde (OIE) desde maio de 2018.
Para esta nova etapa da retirada da vacina, será executado um plano de ação. O plano terá metas que deverão ser cumpridas até o dia 28 de fevereiro de 2019, prazo máximo estipulado pelo Mapa. Entre as metas estão o fortalecimento do controle de trânsito, informatização do sistema de defesa agropecuária, a atualização da legislação de defesa animal n° 2.923 de outubro de 2004 e outras ações que beneficiarão o serviço de defesa agropecuária no Estado.
Esses 12 municípios representam mais de 70% do rebanho do Amazonas. Ao todo são 863 mil cabeças de gado entre bovinos e bubalinos. O Amazonas possui um rebanho total de 1.305.977. O município que se destaca com o maior rebanho entre bovino e bubalinos é Boca do Acre com 383.448. Em seguida, Apuí com 143.711, e, em terceiro, Manicoré com 109.566 cabeças de gado.
Estratégia
O Plano Estratégico 2017-2026 referente ao Programa Nacional de Erradicação e Prevenção da Febre Aftosa (PNEFA), prevê a retirada da vacinação contra a doença até 2023 em todo o território brasileiro.
De acordo com o Mapa, para iniciar este novo processo, o país foi dividido em cinco blocos. No bloco I, integram os Estados do Acre e Rondônia, e agora a região sul do Amazonas, incluindo os 12 municípios devido à localização geográfica.
A introdução de animais nos respectivos estados e cidades que compõem o bloco I não será permitida temporariamente, a entrada de animais vacinados, até o Brasil se tornar livre de febre aftosa sem vacinação. Atualmente, somente o estado de Santa Catarina é livre de febre aftosa sem vacinação.
O Amazonas participa do bloco 2 (com 50 municípios), juntamente aos Estados de Roraima, Amapá e Pará. No Bloco 3 estão Alagoas, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte; Bloco 4, Bahia, Distrito Federal, Espírito Santo, Goiás, Minas Gerais, Rio de Janeiro, São Paulo, Sergipe e Tocantins, e; no Bloco 5: Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e Rio Grande do Sul.

Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*