Amigos afirmam que mulher que se suicidou filho sofria maus tratos

amigosmota

A tragédia ocorrida no final da tarde da última quarta-feira (28) quando Anne Monteiro Luciano, se matou com um disparo de arma de fogo após matar seu filho, uma criança de apenas dois anos de idade, acabou se tornando uma briga pública na internet.
Ela era esposa do coronel Everton Scilla, chefe da 1ª Seção do Estado-Maior da 17ª Brigada de Infantaria de Selva que morava em uma residência de propriedade militar, local onde aconteceu o fato.
Confira vídeo

TRAGÉDIA – Amigos afirmam que mulher que se suicidou após matar filho sofria maus tratos de Coronel do Exército – Vídeo

Logo após a triste notícia se espalhar, amigos de Anne Caroline, que moram no subúrbio do Rio de Janeiro (RJ) decidiram gravar um vídeo e denunciar que ela vinha sofrendo humilhações, ameaças e abuso econômico por parte do seu marido. De acordo com os amigos, o militar tirou ela do Rio de Janeiro e trouxe para Rondônia, e algum tempo depois a deixou à própria sorte em um local desconhecido e sem nenhum apoio.
No vídeo, o casal que faz a denúncia afirma que Anne chegou a pedir ajuda a eles pois não tinha o que comer. “Ele arrumou outra mulher, tomou o carro dela e deu para essa mulher que várias vezes passava buzinando na porta da casa dela. Esse cara é um assassino, matou a nossa amiga”, afirma em vídeo, André Oliveira, amigo Anne.
Em nota, o Exército Brasileiro afirmou que se solidariza com a família e que um procedimento interno já foi aberto paralelamente às investigações periciais.
mulhercoronelO caso
O crime ocorreu por volta das 11h, da última quarta-feira (28), dentro de uma casa na Vila Militar do Exército, na Avenida Farquar.
Anne Caroline Monteiro Luciano, de 30 anos, e a criança foram encontradas já sem vida por vizinhos após o meio-dia.
Anne Caroline era esposa do coronel Everton Scilla, chefe da 1ª Seção do Estado-Maior da 17ª Brigada de Infantaria de Selva.

Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*