MAJESTADES OCULTAS – Elias Pereira

amazoninoferiado

A vitória e consequente posse de Amazonino Armando Mendes para o cargo eletivo de Governador do Estado do Amazonas, foi sem dúvida um feito para ser analisado no presente e no porvir, sobre vários ângulos, em particular, sob o ângulo do fascínio que o velho político de setenta e oito anos ainda exerce sobre antigas e novas gerações de políticos e eleitores amazonenses.
‘Fora’ do cenário político amazonense há mais de década, porém, profundamente antenado em relação aos rumos do Amazonas, Amazonino viu sucederem-se no poder as principais figuras políticas do Estado, ‘criadas’ por ele mesmo, alguns rompidos outros fiéis ao grande cacique pedetista.
Entretanto, o ressurgimento do atual governador, que com sua eleição deu um grande ‘puxão de orelha’ em nada mais nada menos do que o senador Eduardo Braga, não se deu por simples obra do acaso.
Em que pesem as inevitáveis alianças em torno do poder, Amazonino viu-se fortalecido por miríades de “majestades ocultas” ‘na capital do Estado e no interior, gente de fino e grosso calibre, que com seu quinhão de influência e autoridade, fez ecoar nos mais de 1,5 milhão de quilômetros quadrados do Amazonas, seu nome, sua música, sua voz.
Campanhas eleitorais com calendário normal já são um verdadeiro desafio nesse Estado de dimensões continentais; esta que elegeu Amazonino, foi algo ainda mais surpreendente, uma eleição em dois turnos com prazo absolutamente exíguo.
Precisamente aí, é que entraram em cena os milhares de majestades ocultas. Pessoas de fino trato e sobejamente letradas ou outras tantas de camisa no ombro e mastigando com dificuldade, jogaram o Negão nos ombros e o guindaram até a cadeira mais cobiçada do Palácio Rio Negro.
Espera-se agora, que Amazonino Mendes, cujo mandando encerra-se ao final de 2018, tire da obscuridade e dê cidadania a tantos e tantos desses que lhe guindaram ao poder, sobretudo nos municípios do interior do Estado onde tudo é mais longe, mais caro e mais difícil.

Elias Pereira/Humaitá

Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*