“A crise é maior do que imaginávamos, mas vamos enfrentar e resolver”, afirma Amazonino

amazoninomendes

De posse dos primeiros resultados do diagnóstico do Governo do Estado, o governador Amazonino Mendes afirma que a situação é crítica e desafiadora, mas que não há desculpa e que o processo de reconstrução já começou.
Só na área da saúde, o déficit é de R$ 1,2 bilhão. Intervenções imediatas já estão sendo preparadas para melhorar os serviços de saúde, assim como a área de segurança tem recebido atenção urgente, com melhorias já anunciadas para as forças de segurança e uma grande operação que tomou conta das ruas de Manaus neste fim de semana.
”Quando a gente assumiu imaginávamos que a situação estava grave, mas não tanto. Só na saúde pública o rombo é de um bilhão e duzentos milhões de reais. Mas isso não é desculpa, vamos lutar, enfrentar e resolver. Vamos todos juntos reconstruir o nosso querido Estado”, disse o governador.
O levantamento realizado pelo secretário estadual de Saúde, Francisco Deodato, demonstra que somente no item “Contratos Vigentes” há R$ 394 milhões pendentes de pagamento. São despesas com contratos de gestão, cooperativas de saúde, serviços de coleta de lixo hospitalar, logística aplicada à Central de Medicamentos (CEMA) e com gases medicinais.
A maior parte do déficit – R$ 575 milhões – diz respeito a débitos reconhecidos a pagar, realizados em 2016 e 2017. Em menor valor, estão enquadrados os “Serviços sem Cobertura Contratual”, efetivados para o período de maio a dezembro de 2017, estimados em R$ 178 milhões. Estes, são referentes a pagamentos das cooperativas de saúde, serviços de esterilização de prontos-socorros e serviços médicos e laboratoriais.
De acordo com o secretário, muitos destes fornecimentos estão descobertos de contratos, seja porque já estão vencidos ou não foram renovados, mas continuam sendo prestados.
Fechando a conta, ficam ainda R$ 87 milhões que estão classificados como “Restos a Pagar”, ainda remanescentes do período de 2012 a 2017, que são processos já empenhados, mas que não foram pagos.
Segurança
Na área de segurança pública, a determinação do governador Amazonino Mendes é aumentar a presença das forças de segurança nas ruas. Para isso, já anunciou a convocação de 300 policiais civis e o dobro de delegacias funcionando em regime de plantão, além de melhorias para o efetivo da Polícia Militar e a preparação de um novo concurso público.
Liderada pelo vice-governador e secretário de Segurança, Bosco Saraiva, a primeira grande operação das forças de segurança ganhou as ruas de Manaus na sexta-feira e madrugada de sábado.
A operação “Proximidade” envolveu 525 servidores da segurança pública e 150 veículos e alcançou bairros das seis zonas geográficas de Manaus. Foram presas seis pessoas por suspeita de tráfico de drogas e vistoriados mais de 1,9 mil veículos. Trinta bares foram fechados e 4 mil pessoas abordadas.
De acordo com o vice-governador e secretário de Segurança, Bosco Saraiva, a operação marca o novo momento da segurança pública do Estado com o governo Amazonino Mendes.
Operações do tipo acontecerão semanalmente, além do reforço na fiscalização dos ônibus do transporte coletivo e medidas para melhoria da iluminação pública.
“A situação em que encontramos o Amazonas é crítica, mas desafiadora! Nada vai nos impedir de reconstruir nosso Estado!”

 

 

 

 

Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*