Mesmo diante dos cortes de repasses, bumbás prometem: #VaiTerFestivalSim!

`PARINTINS 12-06-2016 CIDADES ALEGORIAS DO BOI CAPRICHOSO FOTO MARCIO SILVA/ACRITICA

Na base da união e firmes em um único propósito, os bois Garantido e Caprichoso garantem: o 51º Festival Folclórico de Parintins será realizado, sim! Mesmo após tantos percalços e dificuldades pela crise financeira instalada, e principalmente pela ausência de recursos do Governo do Estado – que pela primeira vez desde a fundação do Bumbódromo, em 1988 não vai repassar verba para os dois bois -, e pela falta de dinheiro para pagar principalmente seus artistas de galpão, as duas associações folclóricas nem cogitam que não vai ter festival. Pelo contrário: o discurso é que vai ter festival, sim!
Nesta temporada, os bois tiveram perdas de receitas significativas. A principal e mais polêmica veio do Governo do Estado, que anunciou o fim do repasse para as associações – até ano passado o valor a cada boi era de R$ 2.040.000. Operadoras de telefonia e estatais também diminuíram ou encerraram seu investimento na festa, totalizando em torno de R$ 3.500.000 de receitas a menos. Mas o otimismo continua e a festa vai acontecer, dizem dirigentes, torcedores e poder público.
“Os bois de Parintins são que nem vara verde: eles envergam, mas nunca vão quebrar”, compara Chico Cardoso, membro do Conselho de Artes do Caprichoso, e coordenador da parte de coreografia e teatralização do bumbá, ao destacar a realização do evento.
“Existe toda uma comunidade que depende desse festival e que não vai ficar de braços cruzados esperando que o governo continue patrocinando esse Festival. A crise é boa no sentido de lançar novos olhares para o evento, de buscar um novo momento para ele, ressaltou Chico Cardoso.
“Venha a Parintins que você vai encontrar um espetáculo maravilhoso”, completa Chico. Com base no orçamento do ano passado, para este Festival o Boi Caprichoso fez uma previsão de despesas em cerca de R$ 5 milhões.

`PARINTINS 12-06-2016 CIDADES ALEGORIAS DO BOI GARANTIDO NO GALPAO DA CIDADE GARANTIDO FOTO MARCIO SILVA/ACRITICA

No vermelho
Pelo lado da Cidade Garantido, o presidente da associação folclórica vermelha e branca, Adelson Albuquerque, garante que vai haver a disputa no Bumbódromo esse ano. O boi diz ter feito adequações visando conter custos mesmo antes do anúncio de que o Governo não iria mais liberar os R$ 2.040.000 para cada associação folclórica. No total, o Garantido informa ter deixado de receber cerca de R$ 3.500.000 – o orçamento do boi para o festival deste ano é de R$ 7 milhões.
“Com toda certeza e garantia vai haver festival sim nos dias 24, 25 e 26. Mesmo com todas as dificuldades financeiras. As dificuldades maiores que nós enfrentamos foi o retardo da informação de que não haveria mais recurso do Governo do Estado. As duas associações já haviam se programado para o evento de 2016. Fizemos investimentos e o Garantido está mais de 90% pronto para a disputa do festival. Acredito que o contrário também está bastante acelerado nos seus trabalhos e com isso teremos um evento maravilhoso”.
Artista de ponta
“Vamos ter o maior Festival Folclórico da história. Venham para Parintins. Este é o Festival da grandeza, da superação, da humildade e da capacidade do artista da música, da arte plástica, se superar. Esse evento vai marcar um novo ciclo, de se pensar numa nova festa. De um impacto gigantesco porque ela é um investimento intelectual, do pensar, do criar, de desenvolver projetos sociais e turísticos que fortaleçam a entidade maior de um povo”, ressaltou o artista de ponta Juarez Lima, um dos mais reconhecidos pelo público e que integra o Caprichoso.
“Afinal, sem nossas raízes culturais nós não podemos viver. Não se pode execrar, como queriam fazer esse ano, o nosso festival. Mas sabe porquê ele está forte? Porque ele tem uma raiz forte, uma cultura forte que vem lá dos tupinambás e dos parintintins, de todos que migraram para essa ilha encantada, essa ilha cosmopolita”, completou o artista.
Nossa cidade fica se desafiando. Desafia a nós artistas e as autoridades. E isso que é importante da arte: essa renovação sempre”, conclui ele.
Município pode assumir Bumbódromo
Na próxima quarta-feira, em Manaus, os presidentes dos bois reúnem com o prefeito de Parintins, Carlinhos da Carbrás, e com o governador José Melo, para tratar da possível transferência provisória da administração do bumbódromo do Governo do Estado para o Município para a realização do Festival Folclórico. Essa mudança implicaria em reparos estruturais da fiação elétrica, parte hidráulica e a pintura da arena, entre outros serviços.
O secretário municipal de Cultura e Turismo de Parintins, Zezinho Faria, lembrou que o festival, além de um belo espetáculo cultural, também move a economia da cidade no período bovino.
“Vai ter Festival porque essa festa de boi-bumbá tem mais de 100 anos, sendo 51 deles de disputa, e não será devido a interrupção de um patrocínio abrupto, como foi esse (do Governo do Estado) que nós vamos deixar de continuar a fazer esse belíssimo espetáculo cultural para o Estado do Amazonas, que influenciou em muito nos números turísticos do Amazonas. O festival pra nós é de suma importância, representa muito, do grande empresário parintinense ao vendedor de churrasquinho. É um dinheiro que pulveriza, que circula”, informou ele.

Comentar

Seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

*